Você está aqui

Floresta da Ciência SENAI

De tempos em tempos, alguns conceitos permeiam o cotidiano da humanidade de maneira mais forte. No fim do século XVIII, as máquinas e seus avanços eram a coqueluxe do momento.  A era digital e a informática revolucionaram o modo de viver no final do século XX. Hoje, século XXI, a sustentabilidade compreende grande parte das atividades humanas. Neste contexto, o Floresta/Parque de Ciência e Tecnologia vem mostrar o despertar ecológico do homem e as tecnologias desenvolvidas para que possamos viver em maior harmonia com a natureza.  O complexo será constituído por 5 estações temáticas interativas, implantadas de modo a não gerar o corte de nenhuma árvore do local. As estação foram concebidas, desde a volumetria até a maneira como a exposição permanente ocorre, explorando o conceito das crisálidas de insetos, onde ocorre uma holometaforse da criatura. Sendo um conceito recente, a sustentabilidade ainda é aplicada de maneira bastante superficial. Assim, as estações buscam mostrar a maneira mais eficiente de aplicá-la na rotina das atividades do homem. Desse modo, o visitante entra na estação com uma ideia que pode ser um pouco leviana, não muito consistente sobre assunto e, a partir da visitação, transformar, expandir e aprofundar o seu conhecimento.

A implantação ocorre de maneira fluida, se adequando ao relevo do local, acomodando-se ao longo das diferentes cotas de nível do terreno. As estações são elevadas do solo por esbeltos pilares cilíndricos em aço, possibilitando o crescimento e desenvolvimento das espécies vegetais e animais que ali vivem. A volumetria é resultante da implantação e acomodação da arquitetura entre árvores do local, respeitando o espaço da floresta e ocupando o vazio entre as árvores. O resultado é um conjunto de edificações amorfas que, em analogia a casulos, permite um percurso integrado plenamente entre meio ambiente e espaço construído. Nesta proposta, não será necessário o corte de nenhuma das árvores existentes.

O sistema construtivo proposto é um misto de estrutura metálica e vedações em woodframe (paredes alto portantes em estrutura de madeira). O revestimento externo é composto de telha asfáltica tipo shingle, enquanto internamento utiliza-se piso vinílico, paredes em pintura especial para projeções e forro acústico.

CULTURA

A cultura já tem sido retratada como um dos alicerces do desenvolvimento sustentável ou mesmo como dimensão chave para as suas metas. Assim, a última e maior estação é um espaço para celebrar a cultura.

GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14.000

Envolvem processos contínuos e adaptativos que visam a proteção do meio ambiente e a saúde e segurança de seus empregados, clientes e comunidade.

ENERGIAS RENOVÁVEIS

Originárias de fontes naturais que possuem a capacidade de regeneração (renovação), ou seja, não se esgotam. Ao contrário dos combustíveis não-renováveis, as fontes de energias renováveis, no geral, causam pouco ou nenhum impacto ao meio ambiente.

CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Comprometem-se a construir com menor impacto ambiental e maiores ganhos sociais, sem contudo, ser inviável economicamente.

BIOTECNOLOGIA

Seus conhecimentos sobre os processos biológicos e sobre as propriedades dos seres vivos objetivam resolver problemas e criar produtos de utilidade para o homem.

Tag: Crisalidas, Sustentabilidade, Estações, atividades, cotidiano