Você está aqui

SESC Osasco

A distribuição do programa teve como principais pressupostos: Acesso único ao complexo (portaria comum de veículos e pedestres); Distribuição interna de fluxo de pedestres e veículos (usuários e serviços) sem cruzamentos e independentes; Posicionamento do teatro na parte frontal do complexo com possibilidade de alternar o controle de acesso, tornando-o indepenedente, sem passar pelas demais dependências do complexo; A implantação do edifício-passarela (articulador) integrando todas as atividades do complexo: Núcleo de Ações Culturais, Núcleo de Serviços em Saúde, Núcleo de Atividades Físico-Desportivas, Áreas Externas, Administração e Operação; O restaurante (áreas de alimentação) foi concebido no centro do terreno, como espaço de convívio, com visibilidade panorâmica, localizado estratégicamente no edifício-passarela de forma a atender simultaneamente as atividades internas e externas do complexo distribuídos em dois pavimentos distintos; O conjunto de vestiários necessários para atender as demandas de piscinas (coberta e externas), bem como as quadras poliesportivas (descobertas e ginásio) foram concentradas em local estratégico para atender simultaneamente as atividades facilitando diariamente a execução e manutenção das instalações; O ginásio de esportes, implantado na parte posterior do acesso ao complexo com acesso independente e coberto em toda a sua extensão, e parte de suas instalações integra-se visualmente com o parque aquático; O parque aquático foi idealizado com orientação norte, livre de impacto de sombreamento das edificações propostas, como elemento paisagístico integrador entre os edifícios do complexo e o íngrime talude da topografia original; As quadras externas foram implantadas no espaço residual das demais edificações, sobre área de fragilidade de ocupação, dentro de uma ilha de um sistema de drenagem de águas pluviais de grande capacidade, seguindo rigorosamente o eixo (norte-sul) de orientação solar adequado às práticas desportivas; As atividades administrativas, de saúde e culturais foram localizadas nos pavimentos superiores do edifício-passarela; Foi proposto a utilização do pavimento térreo, semi-enterrado, em área definida por legislação e características topológicas, para abrigar o estacionamento de veículos de passeio, o acesso de veículos de serviços, a manutenção predial, monitoramento e segurança, bicicletário, depósitos, e áreas técnicas; A estação de tratamento de esgoto foi proposta na parte mais baixa do terreno e compartilha seu acesso com o pátio de carga e descarga do teatro, facilitando o acesso de caminhões.